quarta-feira, 23 de outubro de 2013

SIG e o Brasil: Embrapa lança site do projeto para análise de recursos hídricos

Projeto ARAquáGeo um SIG e Modelo Ambiental

SIG e Modelo Ambiental O ARAquáGeo está sendo elaborado como uma interface entre o modelo ambiental e uma ferramenta de Sistema de Informação Geográfica (SIG). A troca de dados, de entrada e saída, entre o modelo ambiental e o SIG será feita pelo usuário. Dados técnicos sobre agrotóxicos estão organizados em uma base de dados existente no ARAquáGeo. Esta base poderá ser complementada pelo usuário e é necessária para estimar a Concetração de Agrotóxico (CAE) e o Quociente de Risco (QR). O Modelo Ambiental para a avaliação de risco de contaminação por agrotóxicos utilizado no ARAquáGeo é o mesmo do ARAquá. O mapa é obtido por meio de técnicas avançadas de análise espacial e ferramentas "Open Source" de SIG.

Sobre

O projeto ARAquáGeo (ARA: Avaliação de Risco Ambiental, Aqua: água e Geo: geográfico), liderado pela Embrapa Gestão Territorial , é uma evolução do software ARAquá. Seu objetivo é auxiliar as avaliações de riscos ambientais de agrotóxicos, em cenário de uso agrícola, considerando as possíveis contaminações de corpos d’água superficiais e subterrâneos, comparando os Quocientes de Risco (QR) com Níveis de Preocupação (Level of Concern - LOC) recomendados.
O ARAquáGeo é uma ferramenta em desenvolvimento, que será utilizada pela Embrapa Gestão Territorial, para a prestação de seus serviços relacionados à gestão territorial da contaminação dos recursos hídricos. Por meio dele será possível estimar as Concentrações de Agrotóxicos (CAE) e os Quocientes de Risco (QR), em corpos d'água superficiais e subterrâneos. É a única aplicação, com modelo matemático, desenvolvida especificamente para as condições brasileiras e que considera a distribuição espacial. Por meio do ARAquáGeo, as estimativas de contaminação d'água são incorporadas em programas de geoestatística e Sistemas de Informação Geográfica (SIG), para a geração de mapas de risco ambiental.
Os mapas obtidos podem ser utilizados como subsídios na tomada de decisão de gestão de risco ambiental, possibilitando o planejamento do uso de agrotóxicos e o monitoramento dos seus resíduos no ambiente.
A parceria da Embrapa Gestão Territorial com a Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp , em Botucatu, aconteceu em 2012 e, de lá pra cá, as equipes vem aprimorando o ARAquáGeo continuamente.

Funcionamento do ARAquáGeo:


           
              1. Em campo é feita a amostragem de características físicas e químicas do solo. Os dados coletados, juntamente com suas coordenadas geográficas, são inseridos no sistema, assim como os referentes ao clima e ao agrotóxico 
               2. O modelo ambiental estima a Concentração Ambiental (CAE) do Agrotóxico e o seu Quociente de Risco (QR) com base nas informações amostradas
               3. O ARAquáGeo produz dois mapas espacializados: um com a CAE e o outro com o QR, permitindo gerenciar os riscos ambientais. Isso é possível a partir de técnicas avançadas de análise espacial e, também, ferramentas Open Source de SIG.

Maiores informações entrar no site da na figura em baixo: 

Clique

Fonte: Embrapa, projeto ARAquáGEO.